quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Juliana nunca me pede nada.
Ela foi numa dessas feirinhas e ganhou de brinde peixinhos dourados. E no inconveniente de mantê-los em um saquinho plástico com água, me pediu para que comprasse para ela um aquário. Eu não sabia como dizer não. Fui juntando todas as minhas moedas. Só o que pude comprar foi um desses arredondados e pequenos. “Para dois peixinhos vai servir!”
- Trinta e três? Trinta e três peixinhos dourados?
Ela olhava fascinada para eles, espremidos dentro do aquário minúsculo.
-Juliana, você não pode deixá-los aí, são muitos!
Mas ela estava tão feliz que pouco se importava.
Fui dormir pensando nos peixes de Juliana. E em como mal acomodados estavam. Fui tomada pela ansiedade. A culpa era minha afinal. Por que não comprei um aquário maior? A culpa era minha.
E durante aquela noite, os peixinhos se vingaram. Aproveitaram enquanto eu sonhava, distraída. Entraram em meu coração e fizeram dele seu aquário. Mas meu coração também é pequeno, muito pequeno. Eles se debatiam e se debatiam. As suas escamas arranhavam. Ah, que dor. Achei que iria explodir, quanta dor. Eu me encolhia e me retorcia na cama. Era quase impossível respirar. Eu não queria respirar. Assim foi durante dias até o dia em que posso dizer que me acostumei com eles. Eles se acostumaram comigo. Começaram a se debater no mesmo ritmo das batidas do meu coração. Ainda sinto seus movimentos dentro do peito. Tão tímidos, tão dolorosos, prazerosos. As suas barbatanas hoje me fazem cócegas, como se dissessem “ estamos aqui”.

E depois que a melancolia fez parte de mim, nada mais me atingiu.

2 comentários:

dantezcoman disse...

Virou autora de ficção científica. Com certeza.

"meu coração é pequeno" my ass.
Duvido.

Vitor disse...

Que viajem esses caras comentando aqui Morgana alguns falam merda como esse aqui de cima hehehehe.
Espero que o flagrante tenha te ajudado a escrever algum destes textos pq estão muito bons.Esqueci de te agradecer as cervejas daquele dia.Thanks a lot
Beijo