domingo, 29 de março de 2009

Eu escovava meu cabelo, cuidadosamente semi-alcoolizada.
Um sapo em minha garganta saltitava.
Pela janela, eu observava o gramado iluminado em plena tarde quente de domingo.
A grama parecia estar feliz por ser apenas um monte de folhas verdes.
E eu a invejava.

Juliana me observava, sentada no sofá. O sorriso estampado em seu rostinho não me agradava muito:
-Acho que você finalmente enlouqueceu.

4 comentários:

Wagner Sabbado disse...

Fico feliz que tenha enlouquecido.Bjs!

faust. daiane, disse...

Juliana não existe mesmo...

Gabriela Machado disse...

Quem sabe?
E se juliana existir mesmo?!

Todos os jovens tristes disse...

Enlouqueceste? Então bem vinda ao time dos loucos.