domingo, 2 de agosto de 2009

- Eu já entendi. Você não gosta de mim – disse Juliana, dando mais uma olhada no objeto grande e reluzente no topo da prateleira.
Fomos passear no shopping e eu cometi o erro de entrar com ela em uma loja de brinquedos.
Eu ajoelhei no chão e olhei bem para os seus olhos:
- Não é isso, querida. É que esse brinquedo que você quer é muito caro. Quem sabe no dia das crianças?
Observei seu rostinho ficar vermelho e seus olhos incharem. Ela ia explodir:
- Mas eu quero agora!
O desejo de Juliana era urgente.
- Mas e que tal esse? – Mostrei pra ela um quebra-cabeças.
Ela não respondeu.
Mostrei pra ela outros brinquedos menores que pareciam bem legais.
- Eles são idiotas. Eu quero aquele! – ela gritou, apontando para o brinquedo grande e reluzente.
Depois de um tempo ela não agüentava mais lutar e havia percebido que não sairia dali com um grande pacote.
Ela começou a chorar.
As atendentes da loja pareciam não se importar com o escândalo:
- Não esquenta, nós vemos isso o tempo todo – disse a atendente, ao passar por mim.

Juliana se acalmou e acabou escolhendo um outro brinquedo, afinal.
Na volta pra casa, ela se divertia com a nova aquisição:
- E então? Gostou do presente? – eu perguntei.

Ela olhou pra mim como se fosse me morder:
- É uma porcaria.